Cuidados em saúde mental e atenção psicossocial (SMAPS): avaliação, manejo e seguimento nos territórios

PERÍODO

Agosto a Setembro de 2020

Nº VAGAS

450 vagas

CARGA HORÁRIA

60 horas/aula

Reconhecendo a necessidade absoluta de oferecer serviços às pessoas com transtornos mentais, neurológicos e por uso de substâncias e para seus cuidadores, bem como de superar as diferenças entre os recursos disponíveis e a grande necessidade desses serviços, a OMS lançou o Programa de Ação para reduzir as Lacunas em Saúde Mental (mhGAP, na sigla em inglês) em 2008. O programa afirma que com cuidados adequados, assistência psicossocial e medicação, dezenas de milhões de pessoas poderiam ser tratadas para depressão, psicoses e epilepsia, impedidas de se suicidar e começar a levar uma vida normal – mesmo onde os recursos sejam escassos.

     Em 2010, elaborou-se o Manual de Intervenções mhGAP (MI-mhGAP) para transtornos mentais, neurológicos e por uso de álcool e outras drogas (MNS), uma ferramenta técnica simples que apresenta o manejo integrado de condições MNS prioritárias com uso de protocolos para a decisão clínica. O MI-mhGAP versão 1.0 está sendo usado em mais de 90 países em todas as regiões da OMS e os materiais do mhGAP foram traduzidos para mais de 20 idiomas, inclusive os seis idiomas oficiais das Nações Unidas. Cinco anos depois do lançamento do guia, em 2015, foi publicada uma versão revisada dessas diretrizes, o MI-mhGAP versão 2.0. A última versão foi lançada em 2016 com dois cursos de 40h/a para sua replicação: um voltado para supervisores/matriciadores (ToTS) e outro para profissionais da APS (ToHP).

      Este curso foi baseado neste material com os devidos agradecimentos à OPAS/OMS, tendo sido adaptado à realidade local e a princípios da atenção psicossocial territorial e comunitária.

Capacidade de identificação, avaliação, manejo e acompanhamento de pessoas com condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias, utilizando princípios da atenção psicossocial e os recursos disponíveis nos territórios.

Conhecimentos:

Identificar as apresentações comuns das condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias

Conhecer os princípios de avaliação das condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias

Identificar os princípios de gerenciamento (manejo e seguimento) das condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias

Conhecer os príncipios da atenção psicossocial nos territorios

Habilidades:

Utilizar diferentes tipos de comunicação eficaz em todas as interações com pessoas com condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias

Executar a avaliação das condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias

Utilizar técnicas de avaliação e gerenciamento para as condições físicas das pessoas com condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias

Avaliar e gerenciar casos de emergência das condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias

Aplicar intervenções psicossociais a pessoas com uma condição prioritária em saúde mental e/ou uso de substâncias e para seus cuidadores

Aplicar intervenções farmacológicas apropriadas conforme necessário em condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias, considerando populações especiais (para médicos)

Planejar e executar o acompanhamento das condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias

Utilizar os meios de referência a especialistas e a outros serviços externos para condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias, quando necessário

Atitudes:

Valorizar o respeito e a dignidade das pessoas com condições prioritárias em saúde mental e uso de substâncias.

Módulo I: Introdução – 20h/a – 2 semanas
Unidade 1: A LACUNA DE CUIDADO EM SAÚDE MENTAL – O programa mhGAP da OPAS/OMS
Unidade 2:  Cuidados e Práticas Essenciais (ECP) 

Módulo II – Clínico Básico e Avançado – 20h/a – 8 semanas
Unidade 3: SINTOMAS AGUDOS SIGNIFICATIVOS E SUA RELAÇÃO COM QUEIXAS FÍSICAS (inclui estresse, luto, TEPT, ansiedade, SEM, outros)
Unidade 4: DEPRESSÃO
Unidade 5: SUICÍDIO
Unidade 6: PSICOSES
Unidade 7: CONDIÇÕES PRIORITÁRIAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
Unidade 8: USO DE ÁLCOOL E OUTRAS SUBSTÂNCIAS

Módulo III – SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (LONGITUDINAL)– 20h/a – 2 semanas
Unidade 9: TERRITÓRIO, SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

Obs.: Essas cargas horárias serão ser divididas entre síncronas e assíncronas a depender da metodologia utilizada.

Profissionais de nível superior que atuam na Estratégia Saúde da Família, Policlínicas, Ambulatórios especializados, Centros de Atenção Psicossocial, entre outros profissionais da Rede de Atenção à Saúde (RAS) de todo o estado do Ceará, incluindo profissionais dos programas de Residências em Saúde e Médico da Família do Ceará, abrangendo as 05 regiões do Ceará: Fortaleza, Sobral/Norte, Sertão Central, Litoral Leste e Cariri.

Os cursos acontecerão em um período de 3 meses com 8 encontros síncronos de 4h/a, no período das tardes de quarta (primeira turma) – terça ou quinta se necessário (fixo). O restante da carga horária será assíncrona, e o aluno deverá receber liberação de 5h/semana (totaliza 60h de liberação) pra participar do curso no período do mesmo (três meses/12 semanas), sendo que 4h/a são obrigatoriamente no horário da atividade síncrona (fixo). As faltas serão comunicadas aos gestores, e o aluno precisará de 85% de presença como um dos critérios de aprovação. As turmas contarão com 40-50, pensando que precisamos aprovar 30 alunos por turma num total de até 15 turmas e/ou 450 alunos aprovados. As primeiras duas turmas serão piloto e devem começar em agosto, sendo uma com os candidatos a tutores/professores-visitantes e a outra com profissionais da ADS de Caucaia.

  • Colocar profissionais e tutores (pelo menos um dos dois tutores) da mesma região na turma, sendo os tutores profissionais com experiência em educação (precisa ter conhecimento de informática básica, uso da plataforma moodle e uso de videoconferência) e saúde mental, além de estarem inseridos na rede como gestores, matriciadores ou profissionais de NASF ou CAPS preferencialmente. Podemos colocar um conteudista/colaborador e um tutor local nas primeiras turmas para facilitar o processo de treinamento dos tutores locais. Pelo menos um dos tutores deve ter feito ToTS e/ou ter participado do planejamento pedagógico do curso.
  • Os alunos devem ser alocados, respeitando a seguinte proporção: dois terços (30) profissionais da ESF (54% enfermeiros – 16, 40% médicos – 13 e 6% dentistas – 2); um terço (15) profissionais de NASF, CAPS, ambulatórios, policlínicas, hospitais ou afins (misturar categorias profissionais). Poderão ser incluídos gestores, conselheiros e membros do MP, além de outros parceiros que possam contribuir para a formação para a ação.
  • Selecionar até 45 por turma, num total de no mínimo 10-15 turmas (450 aprovados), pensando na evasão, tendo dois tutores (professor-visitante) por turma.
  • Serão disponibilizadas o dobro de vagas para as indicações dos alunos pelos gestores municipais para posterior seleção dos profissionais realmente interessados e com perfil. Essa seleção será mediada pelo bolsista regional, SESA e ESPCE a partir de critérios como: categoria profissional, inserção em serviço SUS, currículo, interesse subjetivo, proporcionalidade de categorias profissionais, entre outros.

 

A inscrição se dará por meio de link eletrônico a ser disponibilizado por email aos selecionados.

Coordenação do Curso

  • André Luís Bezerra Tavares
  • Fátima Elias

Email

ceats@esp.ce.gov.br

Telefone

(85) 31011418

Sobre a EspVirtual

(85) 3101-1418

ead@esp.ce.gov.br

Nossas Redes